A realidade e a perfeição

Uma das ideias mais tóxicas que nossa mente gera é a busca pela perfeição.

“Eu quero a casa perfeita, eu preciso fazer esse trabalho perfeito, eu preciso que meu casamento seja perfeito, nossa viagem precisa ser perfeita, minha apresentação precisa ser perfeita, minha comida precisa ser perfeita, as pessoas precisam sentir que eu sou perfeita”

Mas, essa busca pela perfeição na vida acaba sendo um dos venenos mais cruéis da nossa mente já inventou. Pois impacta diretamente nossa relação com o mundo e com que está ao nosso lado.

Esse é um devaneio da mente que gera sofrimento porque a realidade e a perfeição não são compatíveis.

A realidade está sempre mudando, transformando-se com a imprevisibilidade da vida (e há uma beleza nisso). Sem a imprevisibilidade nossa vida seria algo estático e sem novidades.

Já a perfeição é o completo oposto disso, pois é uma tentativa da mente de manter o que é imprevisível estático e dentro de um determinado “padrão de qualidade” que tem como única função agradar nosso ego.

A realidade é como um rio em constante movimento e a perfeição é um desenho estático disso. A realidade é o presente e esse é a forma mais pura de aproveitar a vida. Já a perfeição é um apego da mente, uma tentativa de controle total de algo que não pode ser controlado, ou seja, é uma forma cruel de se colocar em um sofrimento interno e de constante cobrança“.

Luiz Cristofari

A perfeição tem uma forma silenciosa de distorcer o modo como percebemos o mundo. Grandes coisas, como estar presente e atento a escuta de alguém que você ama podem parecer algo bem pequeno.

Já pequenos problemas podem parecer muito maiores do que realmente são e ocuparem uma parte da sua atenção que poderia estar sendo utilizada com outras coisas muito mais valiosas em sua vida.

  • Sabe aquele texto que você tem que escrever com perfeição?
  • Será que ele realmente tem tanta importância ao ponto de ocupar a sua paz, será que ele realmente tem todo esse valor em sua vida?
  • Será que aquilo que realmente importa não está sendo deixado de lado por um desejo de sua mente pela perfeição?

Aqueles que desejam viver uma vida mais feliz e plena precisam ter a humildade para questionar a própria percepção da vida, questionar o que nossa mente sugere como necessário, questionar as tentativas de controle do que nos rodeia, questionar se realmente o perfeccionismo é uma qualidade como muitos pregam.

Abrimos espaço em nossa vida para uma existência mais harmoniosa quando aprendemos a desapegar, a reconhecer que não controlamos tudo o que está ao nosso redor.

Se pudermos alcançar nossos objetivos e trabalhar em direção a eles de uma maneira em que abraçamos o progresso em vez de buscar a perfeição, construiremos uma jornada muito menos rígida e sofrida, pois teremos mais espaço para interagir com menos controle com o universo.

Não precisamos correr para ser mais produtivos e perfeitos em tudo, passos mais lentos permitem mais atenção, menos turbulência interna e, por incrível que pareça, podem ser justamente a solução para aproximar você do resultado que você deseja.

Lembre-se que a perfeição está nos olhos de quem vê, logo você nunca vai ser perfeito para todas as pessoas, o que você acha perfeito outra pessoa acha uma porcaria e está tudo bem assim.

Cuidado com a sua mente, pois a perfeição é apenas 1 dos feitiços que ela nos solta para nos impedir de viver de forma mais plena. Não precisamos agradar os outros, nossa única missão nessa vida é entendermos e aceitarmos nós mesmos.

Receba meus e-mails

Gostou do conteúdo? Então tenha acesso a mais reflexões pelo seu e-mail. Increva-se gratuitamente abaixo:

Rolar para cima